23 julho 2019

Medicamentos e outros insumos farmacêuticos necessitam de cuidados para que sejam garantidas a qualidade e a eficácia. Por isso, o Ministério da Saúde tem uma série de recomendações a serem seguidas para que o desperdício seja evitado no estoque de medicamentos.

Infelizmente, o setor de saúde ainda comete erros graves nesse processo. Em 2017, a BBC Brasil divulgou uma reportagem sobre a quantidade de medicamentos que é desperdiçada no país pelo Sistema Único de Saúde. 

Durante a apuração da pesquisa analisada, o jornal divulgou que, em 14 estados brasileiros, o controle de estoque de medicamentos estava errado, com produtos entrando e saindo sem registros. 

Pensando em incentivar melhorias no setor e ser mais um local de acesso a essas informações, reunimos algumas das principais orientações do Ministério da Saúde para que os profissionais do setor de saúde relembrem da importância dessas instruções e reavaliem os seus processos que estão realizando no dia a dia. 

Estoque de medicamentos: orientações gerais 

Uma das principais instruções do Ministério da Saúde para a garantia da qualidade de medicamentos é direcionada ao início do processo: nenhum medicamento pode ser estocado antes de ser oficialmente recebido

Esse recebimento deve ser detalhado. O profissional deve examinar as embalagens e verificar informações como o prazo de validade, fazer a comparação com os documentos de solicitação e, só depois de garantir que está tudo certo, assinar o comprovante de recebimento. 

Na hora de realizar a estocagem, a primeira dica é em relação à visualização. Não importa se eles ficarão em estantes, prateleiras ou armários, é essencial que seja possível realizar a identificação dos medicamentos com facilidade, até mesmo dos detalhes como número de lote e prazo de validade. 

Falando em vencimento, os remédios que atingirem o prazo de validade devem ser baixados do estoque e destruídos. E, claro, o farmacêutico responsável precisa fazer o registro por escrito. Por isso, os estoques devem ser inspecionados frequentemente

Higiene 

Pensando em limpeza e a circulação de pessoas, é recomendado que os medicamentos fiquem estocados à distância mínima de um metro das paredes, além de nunca ficarem em contato direto com o solo e nem em lugar que costuma receber muita luz solar. As áreas nas quais os produtos serão armazenados devem ser livres de pó e lixo, e, claro, de qualquer tipo de animal. 

Estoque de medicamentos termolábeis

No caso dos medicamentos termolábeis, além de todos os quesitos acima, também é preciso se preocupar com as variações de temperatura. É preciso checar as recomendações de cada tipo de medicamento, mas, em geral, também é preciso manter uma temperatura constante de aproximadamente 20ºC. Para que isso seja garantido, é preciso fazer medições de temperatura constantemente. 

Estoque de medicamentos imunobiológicos

Esses produtos pedem um cuidado ainda maior. Por isso, a liberação para entrega desse tipo de medicamento costuma ser prioritário. Além disso, a exposição a qualquer tipo de luz não é recomendada. 

É importante lembrar que alguns oncológicos e anestésicos também precisam de atenção especial, já que pequenas alterações durante a armazenagem podem modificar seus efeitos nos pacientes. 

Controle minucioso de temperatura

Medicamentos imunobiológicos devem ficar estocados, de acordo com suas especificações, em câmaras frias (entre 8ºC e 15ºC), refrigeradores ( entre 2ºC e 8ºC) ou freezers (temperaturas abaixo de -10ºC).

Não por acaso, o controle de temperatura desse tipo de medicamento deve ser feito com ainda mais atenção aos detalhes. Por exemplo, as entradas e retiradas de produtos devem ser programadas para diminuir as variações, refrigeradores devem ter portas de vidro para diminuir a necessidade de verificações com a porta aberta e sistema de ar forçado para homogeneização de temperatura em todos os pontos do equipamento. 

Todos os equipamentos devem funcionar de forma permanente, possuindo preferencialmente uma fonte alternativa de energia para eventuais faltas de energia, como geradores ou banco de baterias. Também é recomendado que cada máquina tenha uma ligação exclusiva para evitar sobrecargas. 

Como pequenas mudanças podem causar grandes perdas e prejudicar a segurança do paciente que receberá o medicamento dispensado sem qualidade, o próprio Ministério da Saúde recomenda que qualquer equipamento refrigerado tenha sistemas que gerem alarmes caso quaisquer variações fora das faixas de limite aconteçam. Toda a equipe do almoxarifado deve saber como proceder. 

Estocagem de medicamentos de uso controlado 

A diferença desse tipo de medicamento é que, além das recomendações já citadas, eles devem ficar em áreas isoladas dos demais e apenas pessoas autorizadas pelo farmacêutico responsável técnico devem ter acesso ao local. 
Agora que você já relembrou algumas das boas práticas para estoque de medicamentos de diferentes características, que tal refletir sobre como o bom gerenciamento desses medicamentos pode contribuir para que vidas sejam poupadas? Confira nosso texto sobre o assunto.

h

Lucas Almeida

Co-Fundador, Diretor de Marketing e Vendas

Engenheiro pela Poli-USP e especializado em Marketing e Administração pela ULV/CA.
Aqui na Nexxto minha missão é ajudar empresas a se tornarem mais eficientes e competitivas por meio da transformação digital.