Publicado em 14 fevereiro 2019 | Atualizado em 28 outubro 2020

Não importa em qual segmento uma indústria se encaixa, a preocupação será a mesma: quando se deve realizar a manutenção de equipamentos que foram adquiridos?

Quando compram maquinário e equipamentos, as instituições desejam que eles tenham a maior vida útil possível, já que a maioria é cara e necessária para os processos do dia a dia. Essa funcionalidade é assegurada por meio de métodos e processos que visam manter os aparelhos em perfeito estado.

Contudo, não é uma tarefa simples ter uma noção clara de quando a manutenção deve ser feita. Neste artigo, esclarecemos essas dúvidas para você. Confira:

Por que fazer manutenção de equipamentos?

O ditado “prevenir é melhor que remediar” nunca fez tanto sentido. A precaução para que o equipamento não apresente defeitos é sempre a melhor solução.

Portanto, neste post daremos mais atenção à manutenção preventiva. Ela consiste em práticas que devem ser realizadas enquanto o seu equipamento está em total capacidade de funcionamento.

Por meio dela, evitam-se problemas técnicos, eletroeletrônicos e mecânicos. Esse procedimento é invariavelmente mais barato e eficiente que medidas corretivas, além de evitar perdas importantes e incorrigíveis.

O que é necessário para essa manutenção?

A manutenção envolve acompanhamento, controle e monitoramento constantes. Falaremos a seguir, de maneira mais detalhada, dos aspectos que a compõem:

Capacitação Técnica

É preciso que os profissionais que entram em contato com a maquinaria sejam treinados para lidar de maneira segura com os equipamentos. Assim, previne-se o mau uso dos equipamentos.

Num hospital, por exemplo, deve-se treinar os funcionários para que eles saibam como utilizar os computadores, quanto tempo devem permanecer ligados e quais sites e softwares podem ser acessados, além de questões relacionadas à limpeza.

Climatização adequada

De nada adianta as pessoas terem total cuidado com um equipamento se o ambiente for inapropriado para sua função. Nem sempre um defeito surge devido a fatores internos, como vírus e malwares. Muitas vezes, condições externas atrapalham sua utilização.

Umidade constante em um local pode causar danos aos hardwares, chegando até mesmo a um curto-circuito. Altas temperaturas podem queimar os computadores ou debilitar sua funcionalidade.

Com uma manutenção preventiva eficiente, pode-se monitorar o ambiente por meio de sensores de umidade e de temperatura, evitando esse tipo de problema.

Acompanhamento constante

Diferentemente de medidas retificadoras, que só são tomadas quando o problema já surgiu, a prevenção está sempre um passo a frente do problema.

Isso acontece porque, com ela, os equipamentos estão sempre sendo observados, analisados e controlados. Essa constância permite um controle de danos eficaz.

Periodicidade

É sempre bom existir uma manutenção periódica, pois assim é possível identificar erros e problemas antes mesmo que ocorram.

Isso se deve ao fato de que a constância garante maior possibilidade de se encontrar danos que possivelmente ocorrerão e, então, remediá-los.

O melhor momento de se realizar uma manutenção de equipamentos é antes de o erro ocorrer. É fazê-la constantemente, com cuidado e contratando profissionais capacitados.

Esse trabalho é um investimento importante pois, por mais que não garanta a nulidade de danos, minimiza bastante os efeitos do ambiente sobre seu aparato. Além disso, é o método que mais traz economia, otimização de seu maquinário e aumento de vida útil.

Você tem alguma dúvida ou sugestão sobre como fazer manutenção de equipamentos? Deixe seu comentário aqui no post!

h

Lucas Almeida

Cofundador e CRO da Nexxto

Trabalho todos os dias para ajudar o setor de saúde a ser mais digital e eficiente, possibilitando que mais pessoas no Brasil tenham acesso a serviços com qualidade e segurança.