Publicado em 10 dezembro 2019 | Atualizado em 23 julho 2020

Segurança dos pacientes é uma das premissas da manutenção preditiva, que consiste em assegurar que todos os componentes dos equipamentos hospitalares realizem suas funções em plena capacidade e durante o maior prazo de tempo possível.

Os equipamentos de imagem utilizados para fazer um ultrassom ou uma tomografia costumam ser utilizados a fim de facilitar o diagnóstico correto por profissionais da saúde. Isso auxilia na descoberta antecipada de doenças e previne situações de risco, garantindo essa mesma segurança.

Com o aumento da presença de novas tecnologias em favor de melhorias no setor da saúde, também cresce a necessidade de investir na manutenção de equipamentos hospitalares, bem como entender sua importância para a segurança dos pacientes e o bom funcionamento de um hospital.

Um bom gestor hospitalar deve prezar pelo aprimoramento de cuidados no manuseio dos equipamentos que envolve precauções antes, durante e depois das instalações de máquinas em um hospital. Lembrando que, para que todas as tarefas sejam concluídas com sucesso, deve haver um padrão de normas e programação detalhada para que nada fuja da ordem dos processos organizacionais.

Caso não haja preocupação em se fazer tais investimentos, o prejuízo pode ser grande. A falta de cuidados e ausência da manutenção de equipamentos hospitalares pode danificar os aparelhos, obrigando o hospital a ter custos recorrentes para preservar a funcionalidade das máquinas, o que prejudica a qualidade dos serviços oferecidos aos pacientes.

Ou seja, investir na manutenção preditiva auxilia diretamente na redução de custos do hospital e eleva o nível de eficiência e qualidade dos serviços prestados.

Baseada na observação dos sinais apresentados pelos equipamentos e a fim de entender as condições de uso dos mesmos, a manutenção preditiva é feita por meio de monitoramento de sinais, a partir de avaliações de dados e estatísticas obtidos por meio de levantamentos atualizados periodicamente.

Apesar da aparente complexidade do assunto, ele é mais popular do imaginamos. Mesmo que não existam dados consistentes sobre erros médicos ocorridos a partir de falhas de máquinas operacionais no Brasil, a estimativa é que a porcentagem supera a que ocorre nos Estados Unidos, onde cerca de 100 mil pessoas morrem por ano vítimas de erros médicos que poderiam ser evitados com o auxílio da tecnologia.

Mas, afinal, vale a pena o investimento em manutenção preditiva de equipamentos hospitalares?

Vantagens tangíveis e intangíveis de se investir na manutenção preditiva

Redução de gastos com manutenção de equipamentos

A manutenção preditiva garante a minimização dos riscos de estragos ou perdas de peças e equipamentos hospitalares, pois tem como objetivo principal detectar a necessidade de manutenção em máquinas hospitalares antes que elas apresentem problemas e parem de funcionar.

Com a prevenção de falhas é possível montar planos estratégicos e otimizados para manter as máquinas funcionando em plena atuação, aumentando a vida útil de um equipamento hospitalar em até 30%.

profissional dando manutenção em equipamento

Segurança e conquista da confiança dos pacientes

Com controle dos processos e condições seguras de trabalho, o hospital consegue obter um nível de satisfação maior entre os pacientes que terão confiança nos serviços oferecidos. Uma vez que tal medida auxilia na redução de interpretações erradas por profissionais médicos, ou até mesmo diagnósticos gerados incorretamente.

Aumento da produtividade dos funcionários

A manutenção preditiva de equipamentos hospitalares também oferece todo suporte necessário para que os problemas que venham a surgir sejam resolvidos, o que faz com que a produção dos funcionários do hospital siga um ritmo de trabalho sem pausas ou interferências, sem desperdiçar tempo com conserto de máquinas.

Crescimento significativo da receita hospitalar

Contas em planilhas, riscos calculados, planos e metas estabelecidos… tudo isso se torna possível a partir do momento em que se investe em manutenção de equipamentos hospitalares. Redução de tempo, de mão de obra, de insumos… todos esses fatores contribuem para a economia de gastos de um hospital, o que assegura uma produção consequentemente mais lucrativa.

Manutenção Preventiva x Manutenção Preditiva de equipamentos hospitalares

Embora semelhantes, é importante não confundir as funções em seus tipos diferentes. A manutenção preditiva levanta possibilidades de falhas por meio de análises, enquanto a manutenção preventiva já parte para ações de prevenção.

A garantia do bom funcionamento de um equipamento de hospital é um bom exemplo. Para assegurar o pleno funcionamento da máquina, você deve estar em dia com a inspeção desse equipamento, com a lubrificação das peças, a revisão feita por um mecânico especialista, etc. Essa seria a manutenção preventiva, baseada em intervenções feitas no cotidiano de um hospital ou clínica.

Um dos indicadores utilizados para levantar dados relevantes para manutenção preditiva é o de Availability, ou Disponibilidade, que apresenta quanto tempo a máquina poderá se manter ou não disponível. Quanto mais alto esse índice estiver, mais lucrativo ele será para o hospital.

Quanto menor, indica que a manutenção preditiva é necessária antes que o equipamento estrague definitivamente. O cálculo é simples: A = [tempo disponível / (tempo disponível + tempo indisponível)] x 100.

Conforme norma estabelecida pela Anvisa, as unidades de saúde devem ter um plano de gerenciamento para equipamentos hospitalares e outros itens, como saneantes, produtos de higiene e cosméticos. Esse planejamento deve ser realizado e coordenado por um profissional qualificado, preferencialmente com nível superior, lembrando que este profissional não poderá ter vínculo empregatício de nenhum tipo com o hospital.

Todos os processos de implantação, gestão e manutenção preventiva e corretiva deverão ser realizados pelo profissional selecionado, com fichas de acompanhamento para cada etapa, o que garante a redução de riscos que possam prejudicar os pacientes.

E afinal, o que é a manutenção corretiva?

A manutenção corretiva tem como principal objetivo a reparação dos danos dos aparelhos, ou seja, correção do funcionamento dos equipamentos hospitalares, além de testes e calibrações após os reparos para assim garantir um inteiro funcionamento destes.

Geralmente ela se torna necessária em caráter emergencial por se aplicar em equipamentos que já estejam com falhas, o que pode causar a paralisação temporária das máquinas, gerando assim impactos negativos durante procedimentos do hospital ou clínica.

Por isso, manter uma manutenção preditiva se torna tão importante e necessária. Além de permitir a eficiência da operação e das instalações, não se compromete as necessidades dos pacientes.

controle de qualidade e energia

h

Lucas Almeida

Cofundador e CRO da Nexxto

Trabalho todos os dias para ajudar o setor de saúde a ser mais digital e eficiente, possibilitando que mais pessoas no Brasil tenham acesso a serviços com qualidade e segurança.