Publicado em 14 abril 2020 | Atualizado em 24 junho 2020

Com um número grande de equipamentos eletrônicos, e muitos deles essenciais à manutenção da vida humana, o uso de nobreak hospitalar é um item imprescindível em qualquer serviço de saúde. Ele é o responsável em manter a qualidade da energia sem oscilação, e evitar que na falta dela, o equipamento não seja desligado.

A oscilação de energia pode ocorrer por falhas técnicas ou mesmo por chuvas e tempestades, sendo que o Brasil é considerado como o líder mundial de incidência de raios, com cerca 50 milhões de descargas por ano, conforme dados do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), órgão que que pertence ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Dados do Elat identificaram que somente nos últimos seis anos, a média atual de raios no Brasil foi de 77,8 milhões. E as descargas elétricas, além de causar estragos como derrubar árvores, costumam também atingir as redes elétricas, que é quando ocorre o estouro de transformadores e a queda abrupta de energia.

A falta ou a oscilação na energia elétrica representa sérios problemas aos hospitais. De acordo com a Associação dos Hospitais Privados de Alta Complexidade do Estado de Goiás (Ahpaceg), em outubro de 2019 a falha no sistema de energia do Estado comprometeu 33 hospitais de grande porte goianos. Além disso, dois deles tiveram seus tomógrafos danificados em decorrência de oscilações no fornecimento de energia.

É neste momento que o uso de nobreaks hospitalares são indispensáveis, já que eles podem atuar como um filtro da descarga elétrica nos equipamentos, evitando que eles queimem ou sejam danificados.

Quer saber mais sobre os nobreaks e porque eles são tão indispensáveis aos hospitais? Confira nosso artigo!

O que é nobreak hospitalar?

Os nobreaks são equipamentos que possuem uma bateria interna que tem a função de estabilizar a energia e também servir de fonte de alimentação em caso de falta de energia elétrica. Eles garantem maior qualidade e funcionamento dos equipamentos a eles ligados.

Na área hospitalar, um sistema de nobreaks é essencial para combater os desafios da qualidade da energia da rede elétrica. Por mais que muitos hospitais atuem com sistemas elétricos mais seguros, com mais de uma entrada, ainda é possível que exista oscilação ou falha entre o equipamento e a entrada de energia.

Neste ponto, o nobreak hospitalar tem a função de alimentar o equipamento no tempo zero, sem qualquer interrupção de energia e evitando seu desligamento, que pode representar onerosas interrupções, reagendamento de pacientes e danos caros a componentes eletrônicos sensíveis dos equipamentos.

Ou seja, sua função é fornecer essa ponte de proteção entre os equipamentos de um hospital e suas fontes de energia, além de garantir uma alimentação de emergência no caso de distúrbios ou falha na rede elétrica.

Problemas com a oscilação da energia

Além dos problemas em equipamentos, quedas ou oscilações na energia elétrica podem trazer outros problemas ao hospital. Por exemplo, no caso de queda, máquinas de quimioterapia usadas no tratamento do câncer, aceleradores lineares, aparelhos de ultrassom e geladeiras usadas para o armazenamento de vacinas e remédios podem deixar de funcionar, acarretando em sérias complicações ao hospital.

No caso de máquinas de quimioterapia, o equipamento pode perder o dados de aplicação de doses de radiação no paciente, exigindo uma avaliação de um físico para que não seja aplicada uma dose extra.

Já uma geladeira de armazenamento de vacinas ou remédios se ficar sem energia pode fazer com que seu conteúdo interno sofra sérias consequências e tenha que ser descartado, causando custos extremamente elevados ao hospital, sem mencionar o fato de que pacientes podem ficar sem o medicamento caso não exista mais em estoque.

Setores em que é necessário

O uso de nobreak hospitalar tem a função de evitar uma série de problemas tanto para a instituição de serviço em saúde, quando para pacientes. Desta forma, eles devem ser instalados em aparelhos nos setores de:

  • UTI
  • RPA/RPO (Recuperação pós Anestésica/Operatória)
  • Salas de Emergência
  • Pronto Socorro
  • Laboratório – Equipamentos Interfaceados
  • Setores que possuem procedimentos invasivos
  • Todos os setores que possuem equipamentos de apoio a vida
  • Setores de Diagnóstico por Imagem para os equipamentos de processamento e comando
  • Central de Segurança
  • Sistemas de CFTV
  • Sistema de Detecção de Incêndio
  • CPD/Datacenter
  • Rede de Computadores
  • Postos de Trabalho de Informática vitais as atividades do hospital (Internação, Postos de Enfermagem, Farmácias, entre outros)
  • Outros ambientes de aplicações especiais

Os tipos de nobreak

A escolha pelo nobreak ideal depende de qual equipamento ele será ligado. Há no mercado basicamente três modelos, cada um com suas características.

Standby

Os nobreaks do tipo standby são os mais comuns e simples, e contam com uma bateria para regular que é acionada quando ocorrem oscilações de energia. Eles são recomendados para máquinas mais leves e que requerem pouca tensão de energia, como computadores, e podem ser usados tanto no ambiente residencial como no trabalho.

Linha-interativa

Outro modelo de nobreak são os de linha-interativa. Eles possuem algumas vantagens em relação ao modelo standby, já que possuem um regulador automático de voltagem (AVR), que estabilizam melhor as alterações de tensão da rede. O AVR tem a função de evitar que a bateria seja menos acionada, garantindo maior durabilidade do dispositivo.

Online

Há ainda o modelo de nobreak online, que alimentam os dispositivos a todo momento por meio de uma bateria. Eles fornecem maior quantidade de energia se comparado aos outros dois modelos. Além de serem mais confiáveis para manter os aparelhos em funcionamento. Mesmo nos casos de constante oscilação de energia ou mesmo nos apagões.

Esse modelo tem um custo mais elevado, mas são os mais indicados para locais em que há máquinas e equipamentos mais sensíveis. E que não podem ficar sem energia, como no ambiente hospitalar.

Aparelho fundamental nos hospitais

Como você acompanhou ao longo do nosso artigo, tão importante quanto os equipamentos hospitalares são os nobreaks, que possuem a função de garantir a segurança elétrica aos aparelhos, evitando que eles possam sofrer qualquer pane por conta da oscilação ou falta de energia elétrica.

Desta forma, cabe à direção dos hospitais verificar se todos os equipamentos essenciais estão preparados para qualquer problema na rede elétrica. Afinal de contas, a compra de um nobreak hospitalar é um investimento que poderá evitar problemas maiores em equipamentos como tomógrafos. Além de aparelhos de ressonância magnética, respiradores e demais aparelhos de uma UTI, geladeiras de armazenamento de medicamentos e vacinas, entre tantos outros.

A escolha pelo melhor nobreak também deve ser feito de forma criteriosa. E preferencialmente contar com o auxílio de um especialista na área. Ele saberá indicar o melhor modelo para cada situação, garantindo que quando necessário o equipamento cumpra seu papel.

h

Lucas Almeida

Cofundador e CRO da Nexxto

Trabalho todos os dias para ajudar o setor de saúde a ser mais digital e eficiente, possibilitando que mais pessoas no Brasil tenham acesso a serviços com qualidade e segurança.