29 julho 2019

Transformação digital, internet das coisas, inteligência artificial. Esses são alguns dos termos que os avanços tecnológicos têm levado para diferentes setores. A tecnologia na medicina tem levado soluções que transformam processos de trabalho de quem atua no setor.  

Neste conteúdo, reunimos alguns exemplos desses avanços da tecnologia na medicina em diferentes pontos, desde a previsão de doenças e resultados de exames, à automatização do monitoramento de equipamentos.  

Tecnologia na medicina: computação e DNA 

Quando falamos em computação dentro da medicina, pode ser que a primeira coisa que venha à sua cabeça tenha relação com a facilidade de, por exemplo, realizar uma prescrição de medicamentos de forma mais assertiva para os pacientes.  

Porém, a computação tem feito com que exames sejam cada vez mais detalhados e seguros, além de possibilitar que os especialistas cheguem a dados quase impossíveis de serem coletados por humanos. O exemplo mais claro disso é o sequenciamento genético.  

Desde quando, em 1950, Frederick Sanger deu o pontapé inicial para o estudo dos padrões genéticos, pôde-se perceber que uma grande mudança estava por vir. Mais tarde, o Projeto Genoma Humano, que durou de 1990 a 2003, estudou o padrão genético do ser humano, que contém aproximadamente 3 bilhões de pares de bases químicas.  

Com automação foi possível registrar esses padrões em máquinas que fazem exames que permitiram, por exemplo, que Angelina Jolie soubesse da presença do gene causador de câncer em seu DNA, tendo 80% mais chances de ter a doença. A mãe e a tia da atriz enfrentaram a doença.  

Apesar de esse ser um tema ainda controverso no setor, é inegável a importância da possibilidade da computação lidar com grande quantidade de dados para estabelecer diagnósticos. Para se ter uma ideia, o custo do sequenciamento caiu de 100 milhões de dólares para 100 dólares entre 2001 e 2018.  

Automação 

A gestão de erros também pode ser melhorada graças à tecnologia na medicina, principalmente aqueles que costumam passar despercebidos pelo monitoramento humano. Uma dificuldade comum no setor é o controle sobre possíveis falhas nos equipamentos, mas a tecnologia pode ajudar. 

Para se ter uma ideia da importância do assunto, o controle digital poderia evitar cerca 43 mil mortes por erro de medicação no mundo. 

Um exemplo de tecnologia que pode contribuir é a checagem beira leito. Os dados do paciente são atualizados automaticamente no prontuário e, automaticamente, são reduzidos os erros de dosagem, por exemplo. 

Até mesmo cirurgias delicadas têm contado com o auxílio do monitoramento tecnológico. Celulares vêm sendo úteis para cirurgias no cérebro e novas soluções estão chegando no mercado o tempo inteiro, como um equipamento que traz maior controle de monitoramento em cardioplegia e quimioterapia hipertérmica intraperitoneal. 

Exames que contam com imagem, como o raio-x e a ressonância magnética, tem relação também com um perigo para os humanos: a radiação. Os medidores de radiação, por sua vez, estão cada vez mais precisos. 

Armazenamento de medicamentos 

Quando falamos sobre armazenamento de medicamentos e outros insumos necessários para o atendimento aos pacientes, por exemplo, é preciso ter um controle minucioso sobre possíveis alterações de temperatura, que podem ser causadas por pequenas falhas mecânicas que não ficam sob o radar dos farmacêuticos.  

Aí entra um grande problema: se há demora para a verificação desse tipo de alteração, produtos extremamente importantes podem acabar sendo jogados fora por perderem sua eficácia ou liberarem substâncias que resultam em efeitos colaterais.  

Evitar esse tipo de problema é essencial, ainda mais no Brasil, tendo em vista o atual cenário, no qual a falta de medicamentos é uma realidade. Em maio de 2019, por exemplo, 25 remédios distribuídos pelo Ministério da Saúde estavam em falta, e 18 com estoques baixos.  

A capacidade de equipamentos entenderem dados trouxe ao mercado soluções que envolvem sensores de monitoramento de temperatura e umidade dos medicamentos. Os sistemas inteligentes emitem alertas automáticos para os profissionais responsáveis, permitindo que eles possam agir de forma mais rápida.  

Outros avanços estão por vir  

As opções de soluções que contribuem para o setor de saúde só crescem, principalmente com o surgimento de startups voltadas ao desenvolvimento de health tech. Além disso, assuntos como nanotecnologia e wearables estão cada vez mais próximos da medicina. Ainda mais importante que isso, a tecnologia na medicina vem salvando vidas.  

Vale destacar também que esses avanços são importantes para que seja possível agilizar processos em farmácias hospitalares, permitindo que os profissionais deem mais atenção no atendimento prestado aos pacientes. Aproveite para entender algumas das formas de otimizar tempo dentro de uma farmácia hospitalar.  

h

Lucas Almeida

Co-Fundador, Diretor de Marketing e Vendas

Engenheiro pela Poli-USP e especializado em Marketing e Administração pela ULV/CA.
Aqui na Nexxto minha missão é ajudar empresas a se tornarem mais eficientes e competitivas por meio da transformação digital.