Publicado em 13 maio 2020 | Atualizado em 13 maio 2020

Soluções de tecnologia baseada em IoT têm ganhado um espaço significativo no setor de saúde. E entre as que mais se destacam, está o sistema de rastreamento em tempo real, chamado de RTLS.

Muito visada por algumas instituições de saúde, esse tipo de solução minimiza as chances de erro, o que é fundamental para uma área onde a ineficiência leva à perda da produtividade e, em casos extremos, pode ocasionar a perda de vidas.

E é justamente em torno de um esforço para a redução dessas perdas e para o aumento da visibilidade, que cada vez mais os hospitais e clínicas em todo o mundo estão adotando sistemas rastreamento para obter a localização geográfica em tempo real de equipamentos, suprimentos, medicamentos, e até mesmo pacientes e colaboradores.

Expansão do RTLS na área da saúde

No mercado de saúde americano, por exemplo, há uma previsão mostrando que os investimentos em RTLS podem chegar ao valor total de quase US$ 3 bilhões até 2023.

Existe uma série vantagens na implantação de sistemas de rastreamento em tempo real que justificam o crescimento dessa tecnologia. Um dos principais fatores é manter a visibilidade e o acompanhamento de equipes, assim como dos momentos mais críticos em operações e atendimentos, em que ativos podem ser facilmente dispersos.

Em muitos casos, os sistemas são implantados em diversos locais, a exemplo da Piedmont Healthcare, uma rede assistência médica da Geórgia, que ampliou o uso de RTLS para seis das suas 11 unidades hospitalares após introduzir a tecnologia, inicialmente, num hospital de Atlanta, em 2005.

Com base na ideia de que a adoção do rastreamento oferece resultados satisfatórios, não é difícil prever que as organizações estenderão seu uso para outras unidades, fazendo com que a tecnologia alcance maior adesão e, consequentemente, maior valor de mercado em pouco tempo.

Outro fator que motiva o crescimento dessa tecnologia é o benefício que ela traz para pacientes que não necessitam de tratamento em clínicas ou hospitais, mas que precisam de acompanhamento integral. Nesses casos, o rastreamento em tempo real é possível através de um dispositivo vestível.

Conforme dados disponibilizados pelos Centros de Controle de Doenças (CDC) dos EUA, Mais de 8,3 milhões de pessoas recebem atendimento através dos cinco principais serviços de assistência a longo prazo anualmente. Esse número inclui agentes de saúde em casa, asilos, hospitais psiquiátricos e outros centros de atendimento.

Considerando a quantidade expressiva de pacientes, fica claro que a tecnologia de rastreamento em tempo real pode auxiliar efetivamente os profissionais envolvidos na prestação de cuidados. E mesmo que nada possa substituir de fato as interações pessoais, a tecnologia é capaz de melhorar o atendimento e até mesmo os resultados do tratamento em determinados casos.

Como o RTLS é aplicado no setor de saúde e quais as melhorias?

Quando se trata do setor de saúde, soluções RTLS costumam incluir hardware e software, que juntos oferecem o monitoramento e a visibilidade da movimentação de equipamentos, equipe e pacientes, permitindo o gerenciamento em tempo real.

No caso dos hardwares de rastreamento, eles podem ser apresentados na forma de crachás ou etiquetas que emitem os códigos de identificação para os sensores, sendo possível identificar a localização exata de ativos e pessoas em toda área monitorada.

Desse modo, os recursos tecnológicos disponíveis atualmente permitem a plena atuação dos sistemas e trazem diversas melhorias para as instituições de saúde. Vejamos algumas a seguir.

Aumento da disponibilidade de leitos e equipamentos

Em horários de pico ou períodos sazonais em que algumas doenças e viroses costumam atingir um número maior de pessoas, torna-se crucial que leitos e equipamentos hospitalares estejam disponíveis no maior número possível.

Para que isso aconteça de modo eficiente, o rastreamento em tempo real agiliza as tarefas de ocupação e desocupação dos leitos e mostra quais aparelhos estão disponíveis para o atendimento de urgência e emergência, já que assim os profissionais de saúde conseguem acompanhar a movimentação e preparar o ambiente para receber os novos pacientes.

Um hospital da Califórnia, o Sharp Chula Vista Medical Center, possui um setor de emergência que atende cerca de 200 pacientes diariamente. Lá, cada paciente possui uma pulseira que permite a visualização do local de internação através de um mapa de toda a instalação, o que evita atrasos entre a alta de um paciente e a entrada de outro.

Esse processo não só melhora o fluxo de trabalho, como também proporciona maior segurança ao paciente através de um socorro mais rápido.

Monitoramento do fluxo de tráfego

Quando bem utilizado, um sistema RTLS pode auxiliar na redução do caos e na otimização dos fluxos dentro do ambiente hospitalar. Isso é possível devido ao fornecimento de métricas detalhadas que informam o número de pessoas atuando em determinada ala do hospital e as rotas utilizadas para chegar nesses locais.

Portanto, essas informações podem ajudar gestores a orientar equipes de transporte em atendimentos de emergência no deslocamento mais eficiente entre destinos – desde a entrada no hospital, passando pela sala de exames e indo para o quarto, por exemplo.

Redução dos riscos de infecção

Através do rastreamento em tempo real é possível que os profissionais de saúde dentro de um hospital sejam notificados sobre a localização de pacientes com infecções, permitindo que sejam tomadas as precauções necessárias antes de acessar o ambiente, e também para o manuseio e assepsia dos instrumentos.

Além disso, um sistema RTLS é capaz de emitir alertas sobre cada etapa do processo de limpeza de um equipamento, não deixando dúvidas sobre a segurança na utilização desses itens nos próximos atendimentos.

Tudo isso serve para evitar a incidência de infecções hospitalares, que são bastante comuns, infelizmente. Como resultado, está o aumento da segurança do paciente e da satisfação com os cuidados prestados.

Acesso à assistência em emergências

Em alguns sistemas RTLS é possível incluir componentes que permitem a emissão de alertas dos funcionários para outros profissionais ou alas de um hospital. Por exemplo, se uma enfermeira estiver verificando os sinais vitais de um paciente e ele parar de respirar, a ação imediata do rastreamento ajuda a reduzir os efeitos adversos que podem decorrer da situação.

Do mesmo modo, quando hospitais investem em sistemas de rastreamento em tempo interligados a componentes de botão de pânico, é possível ajudar pacientes e trabalhadores a sentirem-se mais seguros em determinadas circunstâncias.

Benefícios do rastreamento para o paciente

As vantagens da implantação do RTLS não são percebidas apenas pelos profissionais de saúde ao terem o auxílio da tecnologia no desempenho de suas funções. Os benefícios, como já citamos em outros pontos do texto, se estendem aos pacientes e refletem diretamente na sua satisfação e segurança.

Entre as razões, está o encurtamento da espera nos deslocamentos, transferências e entradas em leitos. Num ambiente hospitalar que costuma ser bastante movimentado, a espera é um fator de grande insatisfação e pode, inclusive, gerar consequências graves pela demora no início do atendimento efetivo.

Contudo, quando dispositivos e sistemas de rastreamento em tempo real são utilizados, há uma melhoria significativa na liberação dos fluxos, diminuindo o tempo de espera e encurtando as vias de deslocamento dentro da instituição.

Outro ponto importante está relacionado às queixas de pacientes sobre privação de sono e falta de envolvimento das equipes de atendimento. Isso porque um sistema RTLS reduz a necessidade de uso de outros dispositivos de comunicação, como walkie-talkies ou bips, reduzindo a emissão de sons que atrapalham pacientes e acompanhantes durante o período noturno, principalmente.

Assim, é importante saber que a insatisfação dos pacientes e familiares quanto à qualidade dos cuidados prestados em um hospital, pode ser decisiva em situações futuras, os fazendo optar por outra instituição em caso de necessidade.

Com isso, ao criar uma má reputação, o hospital passa a ter uma alta rotatividade entre funcionários, dificultando o preenchimento de vagas com bons profissionais, e diminuindo ainda mais sua participação no mercado de saúde.

Como escolher corretamente um sistema de localização de ativos hospitalares?

Ao decidir implementar um projeto de IoT a partir de um sistema de rastreamento em tempo real, é preciso levar alguns pontos em consideração. Entre os principais aspectos a serem analisados pela equipe gestora podemos destacar:

  • compatibilidade com sistemas já existentes;
  • tipo de tecnologia utilizada;
  • custo do sistema;
  • objetivos a longo prazo.

A partir daí é fundamental que haja um cuidado específico na escolha da solução RTLS, já que uma determinada tecnologia ou hardware, por melhor que seja seja seu desempenho, pode enfrentar problemas de funcionamento caso não corresponda de maneira adequado ao aplicativo pretendido ou ao ambiente de instalação.

Do mesmo modo, é preciso se atentar ao orçamento e aos planos de expansão da instituição, pois deles dependerá a necessidade de implantação de um sistema escalável que seja adequado às mudanças no médio e longo prazo.

Um exemplo são os sistemas de radiofrequência, que estão mais suscetíveis a interferências pela propagação de sinais e elementos como água, metais e até pessoas.

O ideal é que haja uma confluência entre as equipes de compras, TI, projetos, e também a participação de profissionais representantes dos grupos que farão uso do sistema. Isso é necessário para que a cultura organizacional seja trabalhada em torno das mudanças operacionais, que podem não ser muito bem recebidas num primeiro momento, mas que são necessárias e, dentro de algum tempo, se mostrarão altamente benéficas.

Esse ponto, aliás, faz parte de uma gestão mais eficiente, com foco na qualidade dos serviços prestados e na experiência do paciente.

h

Lucas Almeida

Cofundador e CRO da Nexxto

Trabalho todos os dias para ajudar o setor de saúde a ser mais digital e eficiente, possibilitando que mais pessoas no Brasil tenham acesso a serviços com qualidade e segurança.